Arquivo

Posts Tagged ‘história pra boi dormir’

Global Connection

Ahá! Estamos de volta! Já perdi a conta de quantas vezes já dissemos isso…

E dessa vez, no nosso blog de RPG sem RPG, colocaremos algo que pelo menos tem alguma coisa a ver (ou não) com RPG.

Há algum tempo, jogamos uma campanha, mestrada por mim (que pena), sem rolagem de dados , só interpretação, em que os jogadores (2 pessoas: Edy e Mark) eram agentes federais, que ao serem enviados a uma estranha missão no exterior, aparentemente impossível,  acabaram se envolvendo numa trama internacional.

Essa história, que acabamos de nomear de “Global Connection”(precisávamos de algum, então…) que contém P.N. que preste, será contada em “episódios” aqui no blog. Primeiramente, uma breve descrição dos personagens, que são: Richard Livingstone (Mark Klein), Maxwell O’Brian (Edymestre) e Jean Lutier (NPC).

“Richard Livingstone, nascido em Nova Iorque, agora com seus 25 anos, alcançou o emprego dos seus sonhos, Agente da NSA (National Security Agency), graças ao seu ótimo desempenho no curso de Ciências da Computação pelo MIT e suas especializações em criptografia, e talvez um pouco de Warcraft III. Tem uma boa aparência, com 1,75 de altura, curtos cabelos pretos e seus eternos óculos de resina. Era um homem de raciocínio rápido, mas que não gostava muito de chamar atenção, sendo assim, muito reservado e distraído. Atualmente, namora Anne, uma linda professora ruiva da Escola Primária do Brooklyn.

Maxwell O’Brian nasceu em Nova Iorque e é um dos mais jovens agentes do FBI, com apenas 23 anos, conseguiu isso com punho forte e firmeza nas suas ações. Com 1,90 de altura, tinha uma ótima forma física graças a sua rotina de caminhada e musculação, tinha cabelo preto e usava um corte no estilo militar. O Agente O’Brian possuía um pequeno problema, seu temperamento, às vezes sendo censurado por seus atos impulsivos e violentos.

Jean Lutier, agente da DGSE (Direction Générale de la Sécurité Extérieure),o Serviço Secreto Francês, é um dos agentes mais chamados para missões no exterior por causa do seu incrível conhecimento de idiomas. Lutier tem a capacidade de muitas vezes reconhecer a nacionalidade de uma pessoa pelo seu sotaque, por mínimo que seja. Essa capacidade vem de anos de estudos e de viagens a muitos países. Ele tem 1,70 de altura, cabelo castanho escuro, pouco longo e usa um pequeno cavanhaque.”

Prefácio

Campos de Berna, Suíça Leia mais…